Ano eleitoral, as empresas e a internet

Com uma eleição que definirá os representantes da população nos níveis estadual e federal e uma Copa do Mundo no final de novembro, 2022 será um ano bastante agitado.

As eleições de 2018 foram marcadas por uma grande polarização e esse cenário deve se repetir neste ano. E as pessoas publicam suas opiniões o tempo todo nas redes sociais, inclusive suas escolhas diante de uma disputa político-partidária como a que nós vamos viver neste ano.

As organizações precisam estar muito atentas, porque o distanciamento entre público e privado se diluiu com as redes sociais e elas abrigam pessoas que possuem posicionamentos distintos. Isso pode fazer com que as situações de conflito se intensifiquem, pois até pequenas diferenças do cotidiano, quando chegam ao ambiente midiático, se conectam com o sentimento de outras pessoas, potencializando uma emoção pública.

Nesse contexto, a vigilância que é exercida nesse ambiente pode se voltar contra a organização. Além disso, conteúdos publicados pelas organizações podem ser mal utilizados de forma intencional por internautas para promover determinados posicionamentos políticos.

Uma das formas positivas de realizar posicionamentos em um ano eleitoral sem entrar em disputas político-partidárias é fazendo conteúdos de posicionamento a partir da identidade e ações da empresa. A marca não deve adotar uma causa para agradar o seu público, sem que não realize práticas efetivas em prol dela. Isso não é válido apenas para anos eleitorais, nos quais existe maior risco, mas em todos os momentos, porque essa é uma realidade da vida das organizações em um mundo midiatizado.
Fonte: PUCRS

O que é marketing 5.0?

Marketing 5.0 é um conceito e movimento pautado pela combinação entre tecnologia e o fator humano para atrair, conquistar e ganhar a lealdade dos clientes. Tem tudo a ver com o cenário atual e futuro, no qual marcas e empresas precisam se conectar de outras formas com seus públicos, muito mais atentas às suas necessidades.

Assim como na ciência, ao longo dos anos, o marketing sofreu diversas transformações e evoluções para atingir esse estágio. Conforme a tecnologia avançou, as técnicas utilizadas se adequaram a um mercado composto de novos consumidores.

O objetivo principal do Marketing 5.0 é aproximar marcas e consumidores de forma sólida.
Atualmente, esse processo é apoiado por uma simbiose homem-máquina.

A máquina aparece no processamento de dados, coleta de informações e gestão de conteúdo. Também no pensamento estruturado, descoberta de padrões, uso da lógica por algoritmos e escalabilidade de tarefas repetitivas e programáveis.

Já o aspecto humano retém ruídos, desenha insights, desenvolve sabedoria, promove a divergência de pensamento e, em resposta, encontra soluções fora da caixa. Também se vale da empatia para se colocar no lugar do outro, criar conexões poderosas e estimular o senso comum.

O que busca o marketing 5.0?

  • Aproximar marcas e consumidores de forma sólida;
  • Atingir o lado emocional do cliente;
  • Apoiar causas justas;
  • Transformar os consumidores em embaixadores das marcas;
  • Agregar valor as marcas, através da responsabilidade social e ambiental.

Copa do Mundo e o marketing esportivo

A Copa do Mundo da Fifa continua sendo o maior evento esportivo no mundo. Nada atrai mais a atenção dos brasileiros do que ver a seleção em campo tentando reconquistar a supremacia do futebol mundial. Graças a essa comoção nacional, a época é perfeita para as marcas investirem em ações especiais voltadas para a competição.

A Copa do Mundo 2022 ocorre em novembro no Catar, e se sua marca pretende investir no evento, é preciso fazer o planejamento com muita antecedência e sempre de acordo com o investimento existente.

Independentemente de as pessoas estarem focadas nos jogos da seleção brasileira, certamente elas estarão conectadas diariamente à internet, seja para pesquisar horários de jogos, locais para assisti-los ou programações diferentes para quem não gosta de futebol. Nesse caso, é uma ótima opção para sua empresa promover produtos e serviços e, com isso, gerar novas oportunidades de negócios.

Empresas como Vivo, Coca-Cola e Itaú ganham destaque por investirem no futebol e em boas campanhas há anos. Desta maneira, suas campanhas se consolidam mais facilmente.

Em nível mundial, o mesmo também acontece. A Nike investe pesado no marketing para atrair os consumidores. Sua marca é respeitada e extremamente confiável, porque através dos anos estabeleceu uma relação de confiança com o consumidor. Suas campanhas de marketing possuem laços até mesmo “emocionais”.

Em época de Copa do Mundo, uma coisa é certa: a Nike vai acertar. Em 1998, o clássico comercial em que os jogadores da Seleção jogavam futebol no aeroporto.

Em 2006, um embate entre as estrelas da nossa Seleção com o time português. Ou seja, suas campanhas de marketing da Copa do Mundo sempre ficam marcadas.

Já na Copa do Mundo de 2018, a campanha Vai na Brasileiragem tenta resgatar o amor e a raça brasileira após o fiasco em casa, na Copa do Mundo de 2014. A pergunta do vídeo é simples: ainda temos a brasileiragem que sempre encantou o mundo? E os jogadores tratam logo de mostrar isso.

Passando por grandes craques, a fórmula é até um pouco batida, com crianças brincando na rua e em campos de terra. Mas a produção é tão boa que contagia os brasileiros apaixonados por futebol.

Além disso, o comercial também resgata o lance de Ronaldo no aeroporto, em 1998.

No fim, o garoto Kauã faz uma preleção para o espectador, assim como fez antes de um jogo do seu time, que viralizou na internet.

“Isso aqui é Brasil, pô. Essa camisa tem história!”, diz o garoto, aos gritos, contagiando todos na torcida pelo hexa campeonato.