Posts de Marcas Brasil Com e Mkt

Agência de Publicidade e Propaganda em Americana / SP Missão Oferecer soluções criativas de comunicação em curtos prazos para satisfazer as necessidades dos clientes de acordo com os valores de qualidade, inovação e respeito ao ser humano. Visão Ser reconhecida como uma agência de comunicação completa para oferecer serviços e produtos e qualidade e por preços acessíveis. Valores Profissionalismo qualificado, compromisso ético e responsável com todos os envolvidos nesta esfera da comunicação, desde funcionários, fornecedores e principalmente clientes. Benefícios Prazo de entrega: Agilidade para atender sempre a necessidade do cliente; Harmonia nas ilustrações onde todas as peças são desenvolvidas de acordo com as regras de Design e contando sempre com muitos anos de experiência nessa atividade; Excelência de Qualidade, tanto no trabalho apresentado, materiais produzidos, quanto nos fornecedores indicados.

3 passos para gerenciar metas e resultados.

Já pensou como a vida seria sem objetivos? Pois é, com a sua empresa pode acontecer a mesma coisa.
Planejar estratégias é vital para a saúde dos negócios a médio e longo prazo, enquanto metas geram os ganhos graduais ao longo deste processo. Então, neste post vamos te ajudar a descobrir os 3 passos para gerenciar metas e resultados que podem guiar a sua equipe:

PLANEJAMENTO: Ter controle sobre investimentos em mão de obra, verba e tempo, ajuda a identificar melhores técnicas de motivação dos colaboradores, o que influencia diretamente nos resultados.
Uma delas é o planejamento “SMART”, muito conhecido por classificar as metas em específicas, mensuráveis, alcançáveis, relevantes e ou com prazo bem definido.
Outra técnica envolve a metodologia “5W2H”, onde será possível que todos entendam sobre os objetivos específicos, a importância do comprometimento, os locais das ações, quais os membros da equipe, os prazos de entregas, que ferramentas utilizar e o orçamento previsto.

IMPLEMENTAÇÃO: A boa comunicação interna evita dúvidas ao longo do percurso e atrasos por informações desencontradas, aumentando assim, o engajamento com cada papel a seguir, prazos e responsabilidades.
Nesta etapa, é indicado incluir campanhas de recompensas como incentivo ao comprometimento e uma “gestão à vista”, que evidencie o ganho coletivo e não apenas o resultado em si, onde todos tenham acesso ao desempenho diário/mensal.

MONITORAMENTO: Eventuais falhas no processo podem ser evitadas acompanhando o desempenho das ações, o que auxilia a prevenir perdas maiores.
Reuniões periódicas com espaço aos colaboradores para expressarem dificuldades, é a chave para uma reintegração de dados entre todos, de onde surgem feedbacks positivos e pontos a melhorar.
Quando se trata de pessoas, não há receita mágica para soluções, por isso, é necessário rever conceitos e reavaliar objetivos iniciais. Além de todo o suporte profissional que uma agência fornece, a empatia com sua equipe deve prevalecer em pequenas e grandes decisões!


Conte com a Marcas Brasil para planejar novos caminhos, o link está na bio. 😉

Afinal, o que essas siglas significam?

As siglas B2B, B2C, H2H, entre outras, significam e indicam modelos de negócio.

Além do B2B e do B2C que são populares, existe uma grande variedade de outros modelos de negócios hoje em dia.

Quer saber quais são? A Marcas te conta!

B2B (business to business | de empresa para empresa)
Neste modelo de negócio, a relação de consumo é entre empresas e, não envolve o consumidor final.

B2C (business to consumer | da empresa para o consumidor)
Este é o modelo de negócio mais tradicional. A relação comercial ocorre entre a empresa e o consumidor final e não envolve nenhuma intermediação de terceiros.

B2E (business to employee | da empresa para o funcionário)
A relação do B2E ocorre quando a empresa fornece descontos para os funcionários.

B2G (business to government | da empresa para o governo)
O B2G envolve a relação comercial entre empresas que vendem ou prestam seus serviços para o governo (municipal, estadual e federal).

G2B (government to business |do governo para a empresa)
O G2C descreve o relacionamento entre o governo (seja ele federal, estadual ou municipal) com empresas fornecedoras de informações para o público (que são as empresas do B2G) como editais, pregões eletrônicos, licitações, tomadas de preço e carta convite.

G2C (government to citizen | do governo para o cidadão)
Do governo para o cidadão, é a relação comercial dos órgãos públicos para com a população.

B2B2C (business to business to consumer | de empresa para empresa para o consumidor)
A relação de consumo no B2B2C ocorre entre empresas, entretanto, o objetivo é atingir o consumidor final. Os supermercados são um bom exemplo deste modelo de negócio.

C2C (consumer to consumer | de consumidor a consumidor)
O C2C ocorre quando pessoas comuns (consumidoras) vendem produtos que elas já compraram (e usaram, ou não) diretamente para outra pessoa.

B2I (business to investor | da empresa para o investidor )
Neste modelo de negócio a relação comercial se dá entre a empresa e o futuro investidor (ou, investidores) e funciona como uma prestação de contas, onde a empresa que está se vendendo para o investidor apresenta seus projetos, dados e informações.

C2B (consumer to business | de consumidor para a empresa )
O C2B acontece quando um consumidor gera valor espontaneamente para a marca.

D2C (direct to consumer | da indústria para o consumidor)
Quer dizer que a indústria está vendendo diretamente para o consumidor, o famoso direto da fábrica.

Marketing no BBB21

O Big Brother Brasil além de ser um reality de entretenimento, também vem se destacando por ser uma grande fonte de inspiração para profissionais de marketing.

1 – O marketing de influência: Desde 2020 o programa tem trazido influenciadores digitais como participantes, para mais engajamento e alcance do público. Alguns exemplos dessa edição são Camilla de Lucas, Viih Tube, entre outros.

2- O omnichannel: Essa é uma estratégia de conteúdo em que o público conversa e compra com a marca por diversos canais. Ligação com os produtos usados no programa, repercutindo as fotos no Instagram e promovendo a venda direta.

3- O storytelling: É uma ferramenta muito poderosa e até hoje ninguém aproveitou melhor que a Manu Gavassi. Ela fez um planejamento e deixou vários vídeos com temas gravados (uma websérie), onde eram postados nas redes sociais, enquanto ela estava confinada no programa, seguindo o contexto dos acontecimentos internos e externos (de acordo com calendário editorial minuciosamente programado, mais um ponto pro marketing).

Manu deixou um legado para as próximas edições e, principalmente, um marco na forma de fazer marketing digital. Hoje, esta fórmula é copiada pela atriz global Carla Diaz, a influencer Viih Tube, o sertanejo Rodolffo e o rapper Projota, que deixaram conteúdos programados a fim de criar empatia e engajamento.

4- A identificação com o público: Defender uma causa no programa e fora dele gerar debates nas redes sociais e ganhar reconhecimento. Um exemplo visto na edição anterior foi o da vencedora Thelma, mais conhecida como Thelminha.

5- Cuidados com a imagem: Valorizar a imagem do seu produto e resultar em vendas.

Estes são alguns exemplos que as últimas edições do BBB tem nos ensinado no meio digital. Portanto, a lição que fica aqui é: explore os diferentes canais para marketing – redes sociais, podcasts, blogs, sites e até mesmo publicidade no mundo físico. Para isso, procure uma agência completa que oferece soluções criativas de alto potencial. Fale com a gente!

Letícia Castro
Jornalista
Marcas Brasil