A importância da comunicação visual para sua empresa

Base para qualquer interação humana, a comunicação é um processo que permite transmitir uma mensagem de um indivíduo a outro, representando o que se pensa e sente por meio de sinais verbais ou não verbais, sendo o segundo caso a chamada comunicação visual.

A expressão: Uma imagem vale mais do que mil palavras é verdadeira e consegue definir muito bem a importância da comunicação visual para o seu negócio. Sua identidade visual tem muito mais para dizer ao seu cliente do que uma longa apresentação em texto, já que ela terá o primeiro impacto direto na formação de qualquer opinião.

A identidade visual da marca é responsável pela identificação do cliente, diferenciando ela da concorrência, agregando valor e transmitindo mais segurança e credibilidade, facilitando a comunicação e aumentando a visibilidade.

Quando estamos falando de comunicação visual, nos referimos a toda estratégia de comunicação realizada através de elementos visuais, desde a identidade visual da empresa, suas cores, formas e padrões, passando pelo estilo gráfico adotado em sua comunicação interna e externa e chegando aos materiais produzidos para o marketing da empresa, como é o caso de vídeos, posts de redes sociais e campanhas publicitárias tradicionais, entre muitos outros.

A identidade visual da empresa pode ser dividida em três grupos:

– Primários: o primeiro impacto. Neste grupo estão incluídos a logo (representação do nome da sua empresa), o ícone (símbolo que a representa) e a marca (união da logo e do ícone).

– Secundários: são os elementos que constituem a totalidade dos primários. Aqui se encontram a tipografia escolhida para representar a sua empresa e todo o uso das cores. É no grupo secundário que estão os elementos que fazem a marca ser lembrada por clientes e consumidores.

– Terciários: são os acessórios que complementam e seguem a mesma linha de criação dos grupos primários e secundários. Aqui se incluem qualquer tipo de mascote, objeto ou uniforme que caracterize sua empresa.

Linguagem corporal: sua comunicação não verbal é eficaz?

Você já deve ter ouvido este termo e como ele é importante na nossa comunicação. Mas você sabe o que é linguagem corporal? A linguagem corporal faz parte do que chamamos de comunicação não verbal — que, além dos sinais emitidos pelo corpo, engloba também tom de voz, pausas e a desenvoltura na fala.

A linguagem corporal é o conjunto de movimentos, posturas ou gestos feitos de forma consciente ou inconsciente, sutil ou explícita, que carregam algum tipo de significação própria no contexto da comunicação interpessoal.

Em outras palavras, a linguagem corporal é a transmissão de mensagens ao interlocutor por meio da expressão do corpo. Elas podem ser faciais, posturais, visuais ou gestuais.

Linguagem corporal positiva

A linguagem corporal representa cerca de 55% da nossa forma de se comunicar. Por isso é uma importante ferramenta para medir como as pessoas reagem a estímulos externos. É uma forma de acessar um pouco do conteúdo interno que cada um desenvolve quando experimenta diferentes situações.

Considerando que podemos escolher como nos expressar também quanto à linguagem corporal, o ideal é buscar a forma mais adequada de se manifestar para que não haja muita divergência entre o que falamos e o que deixamos de falar.

Confira algumas ações que podem ajudar a passar mais confiança e sensações positivas sobre você:

  • Olhar no olho do interlocutor: passa autoridade e domínio do assunto;
  • Aperto de mão: demonstra segurança e dominância;
  • Entonação da voz: volume adequado, pronúncia e projeção da voz oferece clareza e até empatia;
  • Velocidade das palavras e articulação: transmitem autoconfiança e determinação;
  • Respiração: controla o nervosismo e a tensão, auxiliando o raciocínio;
  • Repetição de gestos do interlocutor: de forma moderada, estabelece identificação e empatia.

Linguagem corporal negativa

Algumas características da linguagem corporal podem dar a ideia de rejeição ao assunto. Por isso é interessante ficar de olho especialmente no posicionamento de pés e mãos, para não passar negatividade na mensagem. Outro elemento desfavorável pode ser identificado pelo olhar.

Confira algumas atitudes para evitar:

  • Desvio do olhar: transmite desconforto ou desinteresse;
  • Olhar perdido: indica confusão ou medo;
  • Olhar para cima: passa desprezo ou irritação;
  • Cruzar braços e pernas: dá a ideia de que não há receptividade ou abertura;
  • Braços cruzados e pés alinhados aos ombros: demonstra resistência ou autoridade;
  • Mãos na cintura: transmitem impaciência ou cansaço;
  • Mãos fechadas: indicam irritação ou nervosismo;
  • Velocidade das palavras e articulação: podem mostrar tensão, tristeza e, até mesmo, indicar mentira;
  • Mãos próximas à boca: pode denunciar uma mentira, uma tentativa de mudar o foco daquilo que está sendo dito.

Que tal aproveitar as dicas para melhorar a sua comunicação não verbal?

Fontes x Tipografias

Tipografia, na nomenclatura correta, é a impressão dos tipos (como são conhecidas as fontes). Porém, como a maior parte da escrita hoje é feita digitalmente, esse significado caiu em desuso e passou a abranger todo o estudo, criação e aplicação dos caracteres, estilos, formatos e arranjos visuais das palavras.

Por serem a base da comunicação escrita, os tipos precisam ser muito bem trabalhados para serem adequados à mensagem que você deseja passar, o modo como você deseja passar essa mensagem, à sua disposição com os demais elementos gráficos e, claro, à sua boa legibilidade.

Classificação de fontes

Existem 4 classificações primárias de estilo, nos quais a grande parte das fontes existentes se encaixam: (sem serifa), Serif (com serifa), Script (simula a escrita à mão) e Dingbat (composta por símbolos diversos no lugar das letras do alfabeto).

As fontes com serifa são as mais adequadas para livros e grandes volumes de texto impresso, já que auxiliam a leitura com maior continuidade e sem tanto cansaço visual.

As fontes sem serifa são mais utilizadas em títulos, chamadas e nos textos digitais (neste caso, as serifas agem mais como um empecilho na visualização das letras nas telas).

Cada estilo comporta inúmeras famílias de fontes diferentes. Hoje em dia, com a tecnologia digital, é praticamente impossível contar o número de tipos, que cresce exponencialmente.

Cada família, por sua vez, pode abrigar algumas ou todas as variações: Thin, Light, Regular, Medium ou Semi Bold, Bold e Black ou Extra Bold (todas com a variação em Itálico também).

Algumas famílias também possuem variações de largura para seus caracteres: Condensado, Regular ou Estendido. Mas atenção! Tente evitar de alongar ou contrair a fonte manualmente em softwares de edição, já que pode deformar o tipo completamente.